O que é um Marketplace?

O marketplace consiste no espaço disponibilizado por grandes redes varejistas online para venda de produtos por lojas parceiras (terceiros ou sellers), em troca do pagamento de comissão.
Somente com as vendas de produtos oferecidos por lojas parcerias, o setor movimentou cerca de *R$ 8,8 bilhões no ano passado, representando cerca de 18,5% do total de vendas no comércio eletrônico no Brasil.

Este ambiente trouxe várias vantagens como diversificação de produtos, aumento de receita com melhoria de margens de lucro, além do crescimento de vendas em mercados de nicho. O modelo permite um rápido aumento de receita, com baixo investimento em marketing, uma vez que utiliza o tráfego e a credibilidade de uma rede varejista já consolidada no mercado brasileiro, além de reduzir gastos com investimentos em uma plataforma própria (website).
Você tem um pequeno negócio e quer começar a vender online? Vale pensar nessa alternativa!

“O sucesso do modelo de marketplace no Brasil depende da equalização de três fatores fundamentais, que são a fácil e rápida integração de lojistas, gestão da qualidade de atendimento e serviços destes parceiros e excelência nos processos operacionais para gestão de estoque, frete e entrega, garantindo assim uma melhor experiência para os consumidores.” destaca o O Diretor Executivo da Ebit, André Dias.
Os desafios para lojas parceiras ainda são grandes, uma vez que as empresas estão atuando com taxas de comissionamento altas, além de pouca flexibilidade na definição de estratégias próprias, que acabam sempre ficando restritas ao preço baixo dos produtos. Vale a pena ressaltar que os marketplaces inauguraram definitivamente a entrada de fabricantes (indústria) na venda direta para consumidores finais, uma vez que facilita o acesso aos clientes que antes eram totalmente desconhecidos do setor. Outra vantagem é que, apesar dos pedidos acontecerem no varejo, ou seja, um a um, os fabricantes podem receber as vendas de forma mais rápida, negociando seus prazos com os marketplaces, diminuindo assim a necessidade de capital de giro e risco de atrasos de pagamentos, como ocorre tradicionalmente nas vendas no atacado (B2B).

*Definição e dados: E-Bit